Parceiros

domingo, 29 de março de 2009

Equilibista



















fiz que fui,
porém voltei.
tentei parar:
prossegui.
em que pé estou
?

10 comentários:

Adolfo Payés disse...

Así lo hice yo. y de repente sentí tus versos que me acariciaron con ternura, poeta del sueño amor puro de la vida..

poeta siempre es un placer inmenso leerte..

saludos fraternos con mucho cariño

un beso con ternura

Cynthia Lopes disse...

Meu querido poeta, como é bom saber deste prazer intenso que você sente em ler meus versos! besos y besos

Aroeira disse...

rsrsrs adoro essas coisas assim.

Cynthia Lopes disse...

rsrsrs... eu também, quase um sambinha de breque! bj

A.S. disse...

Cynthia

Todos estamos caminhando sobre a fragilidade da vida!...


Beijos...

Ricardo Kersting disse...

"Caia a tarde feito um viaduto e um bêbado trajando luto
me lembrou Carlitos
e a lua, tal qual a dona de um bordel
pedia a cada estrela fria, um brilho de aluguel."
Aldir Blanc.

Beijo...

Cynthia Lopes disse...

Aí Ricardo, a esperança equilibrista nos diz que o show que todo artista tem de con - ti - nu - ar...
bjs,

Cynthia Lopes disse...

ÀS de carpricórnio, é verdade, caminhamos na corda bamba da vida.
abraços

Fernanda Leturiondo disse...

no pé da poesia que equilibra na ponta da língua, no fio da vida e que vai, para sempre vai

Cynthia Lopes disse...

Fernanda, a palavra na ponta da língua, rsrs.
bjs