Parceiros

sexta-feira, 20 de julho de 2018

ROTAÇÃO




toda viagem
começa
num ponto

toda viagem
caminha
pra dentro


toda viagem
move
sentimentos


toda viagem
termina
no vento

segunda-feira, 28 de maio de 2018

FIM DE JOGO


quando não temos mais sonhos
e toda esperança se foi pra nunca mais,
ainda resta em mim a lembrança
do azul dos teus olhos,
desses teus olhos azuis.

por trás dos óculos escuros,
da mágoa que alimentamos
contra este mundo que tenta,
de todas as maneiras, nos destruir
estão os teus olhos azuis...

apesar da loucura e da indiferença
e dos muitos anos que já se vão,
não consigo deixar de me lembrar de ti.
(no fundo continuo a mesma,
me torturando por nada)

um pouco de masoquismo, 
outro tanto de puro sadismo,
o amor é sempre cruel, sempre estupendo,
sempre azul... como esses teus olhos.
não temos lastro ou coisa qualquer em comum,

mas com você enterrei meu coração
e agora ando sozinha.
são ruas turvas e caminhos tortos,
outros não existiram ou existirão...
por trás dos teus olhos azuis

quarta-feira, 16 de maio de 2018

HOMEM DAS SOMBRAS

você saiu dos confins dos infernos
destes subterrâneos de mim

submergiu das areias movediças
e caminha pela lama

tão exausto e solitário
venha e caminhe em minha direção

meus vazios e cheios te esperam
sussurro prazeres e segredos impuros

em teus ouvidos mocos
homem do submundo

você caminha pesado e rouco
se arrasta pela vida como um peso morto

permita que eu carregue seu corpo
o entregue a mim

para que eu faça dele meu tatame
onde eu possa pisar e bater

lavar e lamber
conforme o meu desejo

conforme o meu prazer

sexta-feira, 6 de abril de 2018

POUCO ME IMPORTA



 antes de pular por aquela
janela, olhei para trás e sorri.

precisava gravar teu rosto.
mais que isso, aquela sua
expressão, antes de ir...

antes de lançar mão
de minhas asas e partir.
arremessar meu corpo no ar.

fiquei imaginando enquanto caia
será que o teu rosto se
transfiguraria?

será que você acreditaria
que eu pudesse voar?
que não era por você?

 antes de qualquer decisão
é importante olhar para trás
e perceber que peças de xadrez
estão sendo jogadas.

eu não vejo problema algum
em surpreender o mundo.

afinal, a gente nunca é
aquele sorriso no espelho,
aquela imagem derretida no tempo.

antes de pular eu olho nos teus olhos
e ponho o seu mundo abaixo.



terça-feira, 3 de abril de 2018

ENSAIO SOBRE A NATUREZA



para Du Zuppani

há muito de Manoel em tudo
afinal, de barro somos feitos

por isso, esse tanto de coisas
em Manoel de Barros
:
a pedra o sapo
a rã a árvore
o pássaro a flor

para tanto o poema
a imagem
a natureza
o brinquedo dos meninos
a linguagem, o verbo

a fotografia
e o olho do fotógrafo
sua alma nas coisas
o desimportante
se faz grande em verso
e paisagem

porque o ínfimo, o minúsculo,
não corrompe nossa natureza.

* Fotografia de Du Zuppani