Parceiros

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Ginna

Escultura de Ricardo Kersting














Ginna-Carrara's Marble 60cm





A figura alada e branca,
(de tão branca que rara),
pulsa em minhas mãos, respira.

Cálida mulher, seu seio
esconde uma profunda dor.
Uma tão grande luta e esforço,

para lhe ver assim, beleza
desnuda, obra de tão grande
labuta, do homem que a sonhou:
lhe trazendo à vida do

mármore bruto.

8 comentários:

Ricardo Kersting disse...

Cynthia conseguiste captar também o sonho e não somente o trabalho sob a obra concluída... Significa dizer que o ser humano para ver arte, precisa ter arte nos olhos, não só nas mãos...
beijos...

Cynthia Lopes disse...

Legal Ricardo, eu gosto muito de ir fundo nas minhas impressões. obrigada pelo comentário, mil bjs

J.R. Lima disse...

E/ou revelou o que já vivia na pedra?
e quantas coisas não haveria no interior ainda mais profundo de cada obra?

Cynthia Lopes disse...

Sabe, eu acredito nos sonhos... o sujeito sonha e retira da pedra o que lhe vai na alma. Sujeito e objeto, principalmente na arte, possuem uma relação dialética, verdadeira e apaixonada. Pelo menos eu vejo assim todo o processo, um abraço

João Manoel Lourenço Pereira disse...

A palavra cinzel a arrancar-se em frases, à forma que versos em curvas diz o poema. Mulheres a se mirar, ela da pedra, voce a ela sem perda. Fostes e voltaste, para os nossos aplausos. Bravo!!! Beijo, João

Cynthia Lopes disse...

Ô, João, obrigada! bjs

Adolfo Payés disse...

Un placer siempre disfrutar de tus poemas que nos entregas con el alma al descubierto llenas de ternura. poeta



saludos fraternos con mucho cariño

un beso mi poeta eterna

Cynthia Lopes disse...

Gracias mi querido niño poeta de la ternura! Un gran abrazo